9. leis psicológicas que controlam suas ações contra sua vontade

21 de maio de 2020 0 13

Existem muitos eventos que ocorrem em nossa vida que geralmente são difíceis de entender. Como os adivinhos prevêem o futuro com tanta precisão e por que as janelas quebradas são tão perturbadoras? Os cientistas já criaram teorias que explicam o que essas coisas significam que acontecem à nossa volta. Acontece que as pessoas agem de acordo com um script e nosso comportamento é realmente bastante previsível.

Nós em Criativoli muitos livros psicológicos e hoje vamos compartilhar um conhecimento secreto com você – tudo o que acontece com você não é aleatório. As ações estranhas das pessoas também podem ser explicadas com a ajuda da ciência.

1. A teoria das janelas quebradas

A criminologia teoria das janelas quebradas foi implementadopor 2 sociólogos americanos – L. Kelling e James Q. Wilson. Esses cientistas estavam tentando descobrir o motivo do aumento das taxas de criminalidade na cidade de Nova York nos anos 80. Eles chegaram à seguinte conclusão: ofensas menores, como lixo espalhado ou pichações, afetavam ativamente o nível de criminalidade em geral.

Aqui está um exemplo da vida real: se havia pelo menos uma janela quebrada ou ausente em um prédio, as pessoas que passavam assumiram que ninguém se importava com o prédio e que não havia pessoas responsáveis ​​para limpar a bagunça. Depois de um curto período de tempo, todas as janelas serão quebradas, enquanto as pessoas que vivem nesta área ficarão mais confiantes em sua capacidade de se safar. Além disso, eles logo concluirão que não serão punidos por crimes mais graves.

o ventilador dessa teoria – Rudy Giuliani, prefeito de Nova York (1994), conseguiu diminuir o nível de criminalidade na cidade dobrando o que era.

2. A teoria do desamparo aprendido

O desamparo aprendido é um desordem comportamentalonde uma pessoa não está tentando fazer nada para melhorar suas vidas, mesmo tendo oportunidade de fazer algo a respeito. Por que é chamado de “aprendido”? Porque ninguém nasce com a idéia de que superar obstáculos é inútil. Esse pensamento aparece depois de passar por muitasestresseou várias falhas. As pessoas desistem e começam a acreditar que nada depende delas, principalmente depois de terem recebido inúmeros golpes da própria vida.

Aqui está um exemplo da vida real:Uma pessoa falhou duas vezes em passar nos testes necessários para entrar na universidade, trabalha duro por muito pouco dinheiro e não pode terminar com um parceiro tóxico. A solução parece bastante simples – prepare-se para o exame, encontre outro emprego, se divorcie e seus problemas desaparecerão. Mas quem é levado ao desamparo não vê uma saída fácil e continuará a tolerar a dor.

O que fazer?

  • Esqueça de ser perfeito – há muito poucas coisas que você pode fazer 100% perfeitas na vida.
  • Diminua suas expectativas, incluindo as negativas. Nós tendemos a ter medo de problemas, mesmo que isso ainda não tenha acontecido.
  • Aprenda a ficar otimista. Existe um termo chamado otimismo aprendido e você pode aprendê-lo com a ajuda de vários exercícios. Aqui está um teste isso ajudará você a definir o nível do seu otimismo.

3. A teoria de um túnel da realidade

De acordo com essa teoria, uma pessoa vê o mundo através dos filtros de suas próprias experiências e crenças. A educação, a educação e todas as alegrias e falhas que já aconteceram conosco constituem o material do nosso túnel da realidade. É por isso que as pessoas geralmente têm reações diferentes às mesmas coisas.

Aqui está um exemplo da vida real: Olhando para o Monalisa,a famosa pintura de Leonardo DaVinci, uma pessoa verá um sorriso misterioso, outra encontrará perfeição matemática, enquanto a terceira verá uma mulher gorda e sem sobrancelha. Nenhuma dessas pessoas está enganada porque todas elas vivem em seus próprios túneis de realidade e acreditam firmemente que estão certas.

Tudo isso acontece porque, de acordo com a teoria do túnel da realidade, há nenhuma verdade comum. É impossível que exista, porque é muitoDifícil para escapar do seu próprio túnel familiar, seguro e confortável.

4. Dilema dos ouriços

As pessoas tendem a ficar próximas umas das outras e a maioria de nós precisa de familiares e amigos. No entanto, relacionamentos íntimos às vezes são seguidos por dor. As imperfeições de nossos entes queridos às vezes fazem com que nos afastemos e nos afastemos. No entanto, depois de algum tempo, cometemos os mesmos erros, procurando por proximidade e sofrendo com isso mais tarde.

Um filósofo alemão Arthur Schopenhauer chamou isso de dilema dos ouriçosou o problema do porco-espinho. Ele compartilhou a seguinte parábola em seu trabalho:

“A number of porcupines huddled together for warmth on a cold day in winter; but, as they began to prick one another with their quills, they were obliged to disperse. However, the cold drove them together again, when just the same thing happened. At last, after many turns of huddling and dispersing, they discovered that they would be best off by remaining at a little distance from one another. In the same way, the need of society drives the human porcupines together, only to be mutually repelled by the many prickly and disagreeable qualities of their nature.”

Arthur Schopenhauer, Parerga und Paralipomena: kleine philosophische Schriften

A chave para relacionamentos felizes está no amor e na amizade, bem como na capacidade de dar a outra pessoa calor suficiente e manter o espaço pessoal ao mesmo tempo. Não tolere picadas de penas e não fuja de relacionamentos próximos ao mesmo tempo. Manter umadistância sensata onde você mantém sua própria harmonia.

5. Pé na porta

No início, uma pessoa faz um favor a você e depois você fica preso porque suas demandas e solicitações se tornam cada vez mais ousadas, enquanto você não é capaz de dizer “não”. O truque chamado “porta-a-porta“é amplamente usado por profissionais de marketing que desejam vender seus produtos.

Aqui está um exemplo da vida real: Os fornecedores de serviços informam: “Obtenha uma versão de avaliação do nosso programa” ou “Inscreva-se em nossos serviços – o primeiro mês da assinatura é gratuito”. O consumidor ainda não pagou um centavo, mas já ficou preso porque é mais fácil vender a assinatura estendida para quem já experimentou a versão gratuita.

Se um vendedor está lhe prometendo um grande desconto ou um acordo à la “Compre 3 pelo preço de 2”, significa que eles leram um desses livros psicológicos e estão tentando entrar na sua porta. Eles sabem que você voltará e gastará uma grande quantia de dinheiro na loja deles.

6. A teoria da normalidade rastejante

Pessoas são capazes aceitar as mudanças mais terríveis da vida com calma, se essas mudanças acontecerem gradualmente.

Aqui está um exemplo da vida real: Moradores das grandes cidades estão prontos tolerar a poluição atmosférica e a degradação ambiental em sua cidade, porque essas mudanças não acontecem rapidamente e as pessoas têm tempo se acostumar com o mal.

Essa teoria pode fornecer respostas para muitas perguntas – de grandes eventos históricos a coisas rotineiras comuns. Por que as pessoas continuam vivendo em um casamento que está destruindo sua psique? A resposta é bem simples – eles se acostumaram e aceitaram porque as mudanças não ocorreram da noite para o dia. A realidade deles mudou e lentamente fez as coisas anormais parecerem normais.

7. A teoria da autoridade anônima

De acordo com isso teoria, fica fácil manipular pessoas com a ajuda de palavras mágicas. Frases como “de acordo com cientistas” ou “afirmação de especialistas”que nem são respaldados por pesquisas científicas óbvias, são facilmente percebidos como verdade. Subconscientemente ouço à autoridade anônima (um especialista ou um cientista) que pode nem sequer existir.

Aqui está um exemplo da vida real:Um comercial de pílulas diz que a eficiência desta droga foi comprovada por cientistas. Isso faz com que o espectador comece a confiar nessa declaração. Como alguém pode não acreditar em cientistas?

Não confie em informações despersonalizadas. Existem frases usadas em comerciais, na internet e em jornais que são mentiras. Aqui estão alguns deles:

  • Frases sem números precisos como “a maioria dos cientistas” ou “algumas pessoas” (quem são essas pessoas?)
  • Uso da voz passiva – “é considerado” (quem o considera?)
  • Frases como “Até 100%” (é 2% ou 99%?)

Peça prova em qualquer situação desconhecida e confie apenas naqueles que podem fornecê-la.

8. Profecia auto-realizável

Às vezes profecias realizando, mas não há mágica nele. O truque é que, se você acredita nessa profecia, isso acontecerá. Esse paradoxo é usado ativamente pelos fraudadores.

Aqui está um exemplo da vida real:Um adivinho previu a um homem que ele acabaria no hospital em um dia ou dois. Assim, o homem impressionado continua sua vida, imerso em pensamentos tristes sobre uma possível doença e não está ciente de seu entorno. Eventualmente, nosso herói escorrega, cai na calçada e acaba no hospital com uma torção no tornozelo. A “profecia” da cartomante aconteceu, mas não porque ela pode ver o futuro – o próprio homem fez a “profecia” se tornar realidade.

É o suficiente para uma pessoa acreditar subconscientemente na ideia de outra pessoa para começar a gerarpensamentos que confirmam essa idéia. Infelizmente, as idéias de outras pessoas nem sempre são boas. No entanto, você podefuga uma profecia auto-realizável se você tentar criar suas próprias afirmações positivas.

9. síndrome do pato bebê

Um patinho recém-eclodido pega o primeiro objeto em movimento que vê para sua mãe e continua a segui-lo por toda parte. Um ser humano, um cachorro, uma cabra ou até um objeto inanimado podem servir como “mãe”. Os cientistas chamam esse comportamento “impressão“e também dizem que todos os humanos têm essa característica em si mesmos.

A síndrome do pato-bebê parecequando uma pessoa encontra um novo ambiente e começa a considerar o objeto que vê primeiro como o melhor. Além disso, é muito difícil convencer esse “patinho” a tentar algo novo e é quase impossível provar que coisas novas podem ser melhores que as antigas.

Aqui está um exemplo da vida real: “Os livros em papel são melhores que os digitais” ou “Os telefones celulares com botões são mais confiáveis ​​que os telefones com sensores” ou “Este novo design é horrível” – são as frases que indicam que uma pessoa tem síndrome de pato-bebê.

Esse efeito torna uma pessoa tendenciosa e impede que ela ouça a opinião de outras pessoas. No entanto, coisas novas também podem ser boas e confortáveis.

Quais dessas leis psicológicas ocorreram em sua vida? Por favor, conte-nos nos comentários!

web statistics