12. mitos sobre a idade média que precisamos parar de acreditar

22 de maio de 2020 0 46

Quando falamos sobre a Idade Média, muitas vezes involuntariamente traçamos uma certa imagem em nossas cabeças, que na maioria das vezes está errada. Isso ocorre porque existem muitos mitos generalizados sobre esse período da história.

Criativo descobriu quais reivindicações sobre a Idade Média você deve tratar com ceticismo.

12. As pessoas pensavam que o mundo era plano.

Para ser preciso, o idéiaque a Terra era plana estava presente na Escandinávia pagã e desapareceu com a chegada do cristianismo naquela região. No resto da Europa e no Mediterrâneo, as pessoas (pelo menos, pessoas instruídas) sabiamo mundo provavelmente era redondojá na Idade Média. Isso é comprovado pelo grande número de mapas e Texto:% s que chegaram até nós a partir desse período.

11. Columbus queria provar que o mundo era redondo.

Se as pessoas sabiam que o mundo era redondo, não havia como provar isso. Através do seuviagem, Colombo apenas provou que o mundo era muito maior do que as pessoas imaginavam. O marítimo acreditava que poderia alcançar os mercados ricos do leste da Ásia navegando para oeste, mas, em vez disso, descobriu as ilhas do Caribe até então desconhecidas.

10. Os vikings usavam capacetes com chifres.

Capacetes com chifres na realidade muito impraticável e desconfortávelvestir durante uma batalha. Foi somente no século 19 que os artistas escandinavos começaram a adicionar chifres às suas representações dos vikings.

9. Os homens fizeram suas mulheres usarem cintos de castidade.

Todos nós já ouvimos falar do “facto”que nobres fizeram suas mulheres usar cintos de castidade quando partiram para cruzadas. Mas essas construções de ferro de aparência assustadora que cobrem a metade inferior do corpo são na verdade um mito.Eles são apenas uma fantasia erótica de tempos posteriores.

8. As pessoas só viveram até os 30 anos.

Os indicadores para a expectativa média de vida durante a Idade Média são muito baixopor causa da taxa extremamente alta de mortalidade infantil causada por doença. Mas se um indivíduo atingisse a idade adulta e não experimentasse doença, havia uma alta probabilidade de queele ou ela viveria entre 60 e 70 anos.

7. As pessoas não lavavam.

Claro, as pessoas não eram tão limpas naqueles dias como estamos agora com nosso acesso constante à água quente. No entanto, todos os elementos da população lavavam todos os dias, valorizavam a boa higiene e mantinham-se afastados daqueles que fedia.. Foi nessa época que o uso do sabão se espalhou, e os fabricantes de sabão tinham até suas próprias guildas de comerciantes nas grandes cidades.

6. As mulheres não tinham direitos.

As mulheres na Idade Média obviamente não eram tão livres como são agora. A maioria deles enfrentouuma escolha entre casamento ou um mosteiro. mesmo assim, eles ajudavam seus pais e maridos em seus ofícios e profissões e podiam herdar e comprar propriedades ou administrar uma casa. Havia também muitosmulheres influentes, não menos importante, do que eram governantes do sexo feminino.

5. As pessoas não usavam talheres.

De fato, talheres já estava em uso generalizado neste momento. Por exemplo, os garfos apareceram no Império Bizantino no século VI e na Itália no 11º.

4. A igreja desacelerou o desenvolvimento da ciência.

A maioria dos cientistas eram eles próprios clérigos. Muitosnão foram oprimidos por suas atividades e foram, de fato, recompensados ​​por seu conhecimento e sabedoria. Não há provas de que alguém tenha sido queimado na fogueira pela igreja por seus esforços científicos. ocaso do Galileu teve mais a ver com a Contra-Reforma do que as relações entre a igreja e a ciência.

3. Milhões de mulheres foram queimadas na fogueira como bruxas.

o fenômeno do “caça às bruxas” não data da Idade Médiamas apareceu mais tarde (atingiu seu pico nos séculos XVI e XVII). Na Idade Média, as pessoas realmentenegou a existência de bruxas.

2. Os senhores feudais desfrutavam “do direito da primeira noite” com as esposas de seus súditos.

Há sim nada para confirmar que essa regra realmente existia, e a maioria dos historiadores assina a opinião que foi pensado como resultado de má interpretação dos textos históricos.

1. Os cavaleiros eram infalivelmente nobres e corteses.

Infelizmente, isso estava longe da verdade. Frequentemente,a realidade era que quando os cavaleiros não estavam envolvidos em batalhas, eles estavam furiosos, aterrorizando a população. Eles eram até notórios por violar mulheres.

Visualizar crédito da foto depositphotos, depositphotos

web statistics